Meditação no trabalho

Meditação no trabalho

No artigo de hoje, falaremos sobre meditação no trabalho e suas especificidades. Isso é um assunto muito interessante e importante, então mostraremos alguns pontos para explicar os benefícios da prática e o primeiro dele é: qual sua importância?

Por que a meditação no trabalho é importante?

Nos último 20 anos, começamos a sair rapidamente do mundo industrial e a ir para uma economia baseada em conhecimento e impulsionada pela tecnologia, que cada vez mais permeia nossa vida. Deste modo, o volume de informação que recebemos é muito grande. Posto que há um excesso de estímulos e de informações para processar no nosso dia a dia muito maior do que conseguimos aguentar inclusive. O que torna a meditação no trabalho essencial.

Este mundo de tecnologia e de avanços exponenciais modifica a forma com que vivemos nossa vida, principalmente no ambiente de trabalho e nas relações profissionais. Decerto, estamos experimentando mudanças e desafios mentais em uma velocidade que supera a capacidade evolutiva do nosso cérebro. Então, podemos concluir que o trabalho se tornou interminável. Dessa forma, você encontra coisas para fazer 24 horas por dia se bobear.

Para nós, a mudança e a incerteza representam uma ameaça. Por isso, estamos vivendo e trabalhando cada vez mais em um estado de estresse. E o trabalho tem sido, comprovadamente, a principal fonte de estresse nos últimos tempos. 

A exposição à sobrecarga de informação, distrações, negatividade e estresse no local de trabalho tornou-se o maior desafio a ser vencido. Em suma, isso é uma ameaça a tudo que é produzido dentro das organizações, ou seja, os serviços que você presta, os produtos que se constrói, entre outras coisas, são impactados pelo estresse, pelas distrações e por tudo o que já falamos antes.

Quebra de paradigmas – meditação no trabalho

Os velhos paradigmas de liderança e engajamento no trabalho também são desafiados. Primeiramente, aquelas lideranças topdown, que brigam e agem de maneira agressiva estão cada vez mais saindo de cena, não funcionam mais. E antigos modelos estão dando lugar para modelos novos, onde o líder serve de escada para as pessoas que estão trabalhando para ele e tem como função colocá-las para cima. É isso que o mundo de hoje está pedindo.

Você costuma perder o sono quando está com algum problema no trabalho? A ansiedade surge com frequência causada por problemas que viveu no escritório? Não sabe o que fazer para diminuir a agressividade da sua empresa ou do seu time? Já se sentiu ou se sente injustiçado? Chegou a mostrar seu pior em uma relação profissional? Saiba que você não está sozinho nesta situação. Muitas pessoas já responderam sim para essas questões.

Estatísticas e dados alarmantes

·        O trabalhador médio gerencia 120 mensagens por dia, alterna telas 37 vezes por
hora e é interrompido a cada 3 minutos;

·       O déficit de atenção é uma grande epidemia no local de trabalho, com sintomas de
distração, desorganização e impaciência;

·     37% do tempo de gestão é gasto na mediação de conflitos, 98% dos trabalhadores têm experimentado conflitos recentemente e 23% estão continuamente expostos a eles;

·   56% dos trabalhadores relatam exposição atual a um gerente tóxico e 35% já experimentou abuso verbal, intimidação ou humilhação por um supervisor.

Estresse, ansiedade e depressão requerem meditação no trabalho

O estresse no trabalho tornou-se a epidemia do novo século e contribui para causas de morte prematura; 18% dos americanos foram diagnosticados com um transtorno de ansiedade e tomam regularmente prescrição de medicamentos anti-ansiedade. Como resultado, o retorno deste “investimento” é o aumento da abstenção, do número de acidentes no local de trabalho, alto turnover, baixo engajamento, baixa performance, baixa criatividade e perda de performance geral de equipes e empresas.

O resultado disso é a perda do lucro das empresas e mudanças na qualidade de vida das pessoas. Bem como as pessoas não conseguirem separar o pessoal do profissional. Mesmo que em background, nosso cérebro continua pensando no que
precisa ser resolvido, seja em casa ou no trabalho. É muito comum levar os problemas de casa para o trabalho e vice e versa. Por isso, é preciso fazer algo para mudar isso.

A boa notícia é que nós podemos reprogramar nossa mente. De modo que somos capazes de reinterpretar, repensar e reenquadrar os dados à medida que eles são trazidos à nossa consciência. Ou seja, podemos perceber nossos pensamentos, emoções e sensações e escolher a melhor resposta a eles.

Praticar a meditação no trabalho

Atualmente, a ciência e religião estão trabalhando juntas para trazer melhorias na nossa vida. Assim, o peso religioso de práticas milenares está sendo tirado e elas estão sendo trazidas para o nosso dia a dia. E é aí que entramos no tema do artigo. Mas antes, é necessário entender a diferença entre Mindfulness e Meditação.

As duas palavras vieram do Ocidente. Primeiramente, a Meditação geralmente está associada a alguma prática com cunho religioso, já o Mindfulness é 100% científico. 

Porém muitas práticas da primeira são exatamente iguais às práticas formais da segunda. Outra característica da Meditação/Mindfulness é o foco na experiência que as pessoas estão tendo no momento. Por isso, ela pode ajudar no ambiente de trabalho.

Porém essa jornada para levar a Meditação e o Mindfulness para o dia a dia e para as empresas é difícil e pode ser repleta de erros.

É uma jornada humana

As pessoas têm que experimentar e ver de fato as mudanças no dia a dia para se engajarem nessas práticas.

Alguns erros comuns

·       Achar que sala de Meditação vai fazer com que as pessoas pratiquem. Isto é errado, uma vez que é necessário fazer uma mudança cultural interna na empresa, um aprofundamento e uma criação de multiplicadores internos para que as pessoas utilizem a sala todos os dias;

·   Escolha equivocada do facilitador-instrutor. Nesse sentido, os professores têm que estar alinhados com o ambiente de trabalho e não tentar criar situações que não fazem sentido. Então, a pessoa que vai dar aula tem que entender o dia a dia das pessoas que estão recebendo;

·     Querer resolver todos os problemas rápido demais e em pouco tempo. Isto é, algumas empresas acham que um workshop de 1 hora é a solução. Entretanto, isso não dá certo. Já que essas práticas que realizam transformação mental profunda, de criação de hábito, levam tempo para acontecer;

·   É preciso entender a Cultura Organizacional. Logo não dá para fazer algo que não tenha a ver com a empresa. Na frase a seguir, veremos uma ótima definição para cultura:

“Cultura é a aprendizagem acumulada e compartilhada por determinado grupo, cobrindo os elementos comportamentais, emocionais e cognitivos do funcionamento psicológico de seus membros.” (Edgar Schein)

Ou seja, para criar um hábito novo, deve haver um trabalho de cultura interna, ou seu dinheiro será jogado fora e não haverá nenhum resultado.

·     Excesso de ciência e pouca experiência. Onde, no fundo, o que importa é perceber como a Meditação funciona na vida de cada indivíduo;

·       A experiência tem que estar conectada ao dia a dia no trabalho.

Qual é o objetivo disso?

Michael Carrol, ex-VP da Disney e autor do Best Seller Awake at Work, primeiro livro sobre Meditação no trabalho, estuda Meditação e MindFullnes há mais de 40 anos e entende muito sobre o assunto. Ele falou algumas coisas importantes sobre qual é o objetivo disso tudo. Veja a seguir:

“Para líderes conscientes, cultivar essa saúde organizacional requer, antes de tudo, o domínio da conduta organizacional – uma fluência em nove competências básicas:

1-    Eliminar a toxidade do ambiente;

2-    Apreciar a saúde e o bem-estar (seu e de quem está à sua volta);

3-    Ganhar confiança como alguém, sentir-se bem dentro da sua pele;

4-    Enviar mensagens claras;

5-    Abraçar a resistência, as opiniões contrárias, como um aprendizado;

6-    Entender a cegueira (pessoas que não conseguem ver a realidade como ela é);

7-    Aceitar convites e ver o mundo de outras formas;

8-    Curar feridas;

9-    Ser realista.”

Processo que criamos para desenvolvimento humano: 

 
 

Cultivar simplicidade, coragem, adaptabilidade mental, paciência, etc) pela Mindfulness e Meditação e outras;

Expressar as qualidades, usando as habilidades sócio-emocionais;

Descobrir como a mente funciona.

 

Alguns programas criados para entender essas qualidades

Mindful Leadership – Treinamento que mostra como liderar de dentro para fora, inspirando o melhor de si e nos outros à sua volta;

Innovation Mind – Treinamento com base em neurociência e mindfulness para desenvolver o potencial e a cultura de inovação dentro das empresas.

Para finalizar, todo o exercício da mente deve estar conectado com a nossa realidade.

Esperamos que esse artigo tenha sido útil  e esclarecedor para você. Até o próximo!

Se você procrastina bastante, saiba como usar isso a seu favor. Clique aqui!

 

E para saber mais sobre meditação no trabalho, acesse aqui! 

 

 

Deixe uma resposta