Blog

6 Maneiras de Aumentar sua Performance Mental

6 Maneiras de Aumentar sua Performance Mental

Com base em um compilado de diversas pesquisas neurocientíficas, fizemos um resumo muito interessante e informativo sobre como melhorar nossa performance mental. Assim, foram separadas 6 maneiras de fazer com que sua mente chegue a este estado. Mas primeiro, falaremos sobre duas condições muito importantes do cérebro: a Neuroplasticidade e a Neurogênese. 

O que é Neuroplasticidade e como influencia a performance mental?

Trata-se da capacidade do sistema nervoso de adaptar-se, mudar e moldar-se principalmente através das nossas experiências de vida. Por exemplo, quando estamos aprendendo a andar de bicicleta, caímos algumas vezes até aprender. Ou seja, o cérebro traçou caminhos neurais onde o aprendizado fica contido, mas precisa que este comportamento ou habito seja repetido algumas vezes até que se torne automático.

Durante essa mudança, o cérebro faz a Poda Sináptica, eliminando as conexões neurais que não são mais necessárias ou úteis e fortalecendo as necessárias. Desse modo, ele funciona de forma similar aos nossos músculos.

Mesmo que não tenhamos experiência em certas situações, conseguimos criá-las para adaptar o cérebro para quando elas realmente ocorrerem. Assim como é o caso da pesquisadora Katherine Rahill Phd da Catholic University of America, que está conduzindo pesquisas com realidade virtual para ajudar, por exemplo, astronautas a se adaptarem a ver o espaço.

 https://singularityhub.com/2018/11/29/how-one-researcher-is-using-vr-to-help-our-eyes-adapt-to-seeing-in-space/

Ou seja, o cérebro é plástico, moldável, por isso o termo Neuroplasticidade.

O que é Neurogênese e como influencia a performance mental?

É a habilidade que o cérebro tem de produzir novos neurônios. Sobretudo é uma característica normal, inclusive em adultos. Dessa maneira, uma das regiões onde mais são produzidos neurônios é o Hipocampo, responsável pelo aprendizado e pela memória de longo prazo.

Nem todos os neurônios que nascem sobrevivem. Em contrapartida, a maioria morre. Mas os cientistas ainda estão descobrindo quais são os fatores que interferem no nascimento e morte de novos neurônios.

Agora, com essas informações, podemos aprender a melhorar a performance do cérebro. Então, vamos lá?

Como melhorar a performance mental?

1-   Exercícios físicos: Melhoram nossas funções executivas, ou seja, planejar, organizar e fazer troca de tarefa sequencial.

Os exercícios também são conhecidos por seus efeitos de melhora de humor e as pessoas que se exercitam têm menos probabilidade de ter demência à medida que envelhecem. De tal forma que os idosos que passaram a vida inteira no sofá podem aperfeiçoar essas habilidades apenas começando a se mover mais.

Pesquisas mostram que o exercício pode aumentar os níveis de uma substância chamada Fator Neurotrófico Derivado do Cérebro (BDNF), que estimula o crescimento, a comunicação e a sobrevivência dos neurônios.



Novidades das pesquisas científicas sobre os exercícios físicos

Exercícios + Música = melhora algumas funções executivas

Exercícios + Sobrecarga Cognitiva* = melhora na resistência física

  • Atividades mentais que usam a memória de trabalho, como fazer operações matemáticas, exercícios de memória dentre outros.

2-   Dieta: Alguns alimentos auxiliam na melhora da performance do cérebro (Brain Foods)

Nozes – Ajuda a prevenir possível perda de poder cognitivo. Fonte de vitamina E, importante para o corpo;

Avocado – Fonte importante de gordura monoinsaturada, contribui para gerar um bom fluxo sanguíneo para o cérebro;

Cereais integrais – Ajuda a concentração e foco ao liberar glicose mais lentamente na corrente sanguínea;

Mirtilo – Evidências dizem que seu consumo diminui a perda de memória de curto prazo;

Semente de abóbora – Alimento rico em zinco. Aumenta nossa memória e capacidade cognitivas;

Café – A cafeína melhora o tempo de resposta e memória de curto prazo, mas não pode ser usado em excesso e se consumido após às 14h pode prejudicar o sono;

Brócolis – Fonte de vitamina K. Melhora as funções cognitivas e poder mental;

Sálvia – Tem a reputação de melhorar a memória e concentração;

Água – É muito importante que tenhamos água em abundância, pois ajuda-nos a manter a atenção e também é essencial ao cérebro;

Variedade de Cores – Quanto mais colorida a variedade de alimentos, melhor, especialmente quando se trata de frutas e vegetais;

Níveis de açúcar – Devem ser mantidos no mínimo. Embora nosso cérebro precise de glicose para funcionar, o excesso pode ser prejudicial. Podemos usar chocolates com maior porcentual de cacau (50% ou mais).

Mas não é só o que você come que afeta o seu cérebro, como também o quanto você come. De acordo com estudos, animais de laboratório alimentados com dietas com restrição calórica – de 25% a 50% menos que o normal – vivem mais do que os outros animais.

Eles também apresentam uma melhora na função cerebral, apresentando melhor desempenho em testes de memória e coordenação.

 

3-   Estimulantes: substâncias que estimulam o sistema nervoso, aumentando a frequência cardíaca, a pressão arterial, a energia, a respiração e muito mais.

A cafeína é a substância mais famosa do grupo e a droga mais usada no mundo. Com efeito, ela ativa o sistema nervoso central, e estimula o estado de alerta. Assim, em altas doses, no entanto, esse estímulo pode ir longe demais, causando nervosismo, ansiedade e insônia. Por outro lado, quantidades pequenas e moderadas podem melhorar o funcionamento da nossa mente.

Exames de ressonância magnética revelaram que os voluntários que receberam cafeína tinham atividade aumentada nas regiões cerebrais que envolviam atenção. De acordo com pesquisas, a cafeína pode proteger contra o declínio da memória relacionada à idade em mulheres mais velhas.



4-   Videogames: Pesquisas mostraram que os videogames podem melhorar a destreza mental, ao mesmo tempo em que elevam a coordenação entre mãos e olhos, a percepção de profundidade e o reconhecimento de padrões.

Os jogadores também possuem mais capacidade de atenção e processamento de informações do que a média. Nesse sentido, há pesquisas que descobriram que executivos que jogam videogames são mais confiantes e sociais. Além disso, os videogames ativam os circuitos de recompensa do cérebro, porém muito mais em homens do que em mulheres.

Em um estudo, ambos os grupos tiveram um bom desempenho, mas os homens mostraram mais atividade no sistema límbico, que está associado ao processamento de recompensas. Ou seja, os homens têm 2x mais propensão a se viciarem em videogames do que as mulheres.

Recentemente foi publicado um artigo no MIT Tech Review que fala a respeito do real vício que os videogames podem causar, podendo levar inclusive à obsessão. Segue o link abaixo:

https://www.technologyreview.com/s/614747/video-game-addiction-is-now-being-recognizedwhat-happens-next/

 

5-   Música: A música também pode ativar os centros de recompensa do seu cérebro e diminuir a atividade na amígdala, reduzindo o medo e outras emoções negativas.

Ela pode ajudar a tratar ansiedade e insônia, baixar a pressão arterial e aliviar os pacientes com demência. Bem como o treinamento musical, ou seja, a prática de música, está associado ao reforço cerebral. Além disso, para quem quer (e gosta) de ouvir música para focar em alguma tarefa mental, o ideal é ouvir músicas mais lentas e um pouco mais melancólica ou triste.

6-   Meditação Mindfulness Formal: Ajuda em vários tipos de problemas – ansiedade, redução de dor crônica e tratamento da hipertensão, asma, insônia, diabetes, depressão e até mesmo de certas doenças de pele.

Os meditadores regulares dizem ainda que se sentem mais à vontade e mais criativos do que os não-meditadores. Sobretudo, também mostram picos de atividade cerebral no córtex pré-frontal esquerdo, uma área do cérebro que geralmente tem sido associada a emoções positivas.

Aqueles que tiveram mais atividades nesta área durante a meditação apresentam grandes aumentos no funcionamento do sistema imunológico. Assim sendo, a meditação pode aumentar a espessura do córtex cerebral, particularmente em regiões associadas à atenção.

Quer saber um pouco mais sobre mindfulness e como praticar na cidade. Então, dá uma olhada no vídeo que fizemos a respeito deste tema e deixe seu LIKE e Comentário.

 



Bom, agora que você já sabe como melhorar sua performance mental, comece a introduzir esses conceitos em sua vida e veja as mudanças acontecerem.

E lembre-se de seguir a MIND station nas redes sociais para mais conteúdos desses.

www.mindstation.com.br

instagram: @mindstationbr | facebook: /mindstationbrasil | youtube: /mindstationbr

​​

Quer saber usar técnicas de MINDFULNESS para o seu dia a dia?

CLIQUE AQUI PARA CONHECER O CURSO MINDFULNESS E CONSCIÊNCIA APLICADOS

Autor: Charles Betito, fundador da Mind Station, uma plataforma de conteúdos baseada em mindfulness e consciência aplicada.

Deixe uma resposta

Fechar Menu