EN

Nível Magenta Meu vizinho de cima é o Deus do Trovão!

nível magenta

Vamos continuar falando sobre consciência? O assunto da vez é o nível magenta. E para começar a conversa, você vai conhecer a história do Svenn¹.

Svenn vivia com seu bando de coletores, mais ou menos 200 mil anos atrás, bem antes da mutação genética que deu olhos azuis a seus descendentes distantes. Sobretudo, ele chegou à região que hoje é formada pelos países nórdicos através de uma série de migrações de pequenos grupos de homo sapiens vindos do sul.

Depois de exterminarem os grandes mamíferos da região e de preencherem a área com vários grupos semelhantes, descobriram sobre plantação. Na prática, perceberam que se cavassem buracos no chão e colocassem sementes que retiravam de outras plantas, cresciam novas plantas iguais onde eles quisessem.

Começava a primeira revolução humana… A revolução agrícola.

Revolução agrícola

Segundo Yuval Harari em seu livro Sapiens, não foi o homem que domesticou o trigo, foi o trigo que domesticou o homem. Assim, a partir do momento em que o homo sapiens começou a plantar o trigo, ele abriu mão da mobilidade. Bem como de vários outros aspectos que, como coletor, lhe conferiam grande saúde.

O trigo trouxe abundância, permitindo que o homo sapiens atingisse novos níveis populacionais e começasse a formar aglomerações maiores, fixas. Consequentemente, é provável que a partir dessa nova rotina de observação da natureza que antes era menos fundamental, uma nova era chegou.

O homem passou a imaginar explicações para fenômenos que pouco importavam. Chuva, estações do ano, fauna diurna e noturna ao redor dos “bandos”… Além disso, plantando os pés num lugar só. Deste modo, iniciou uma convivência mais intensa com um número maior de indivíduos e novos códigos tiveram que ser desenvolvidos.

Essas explicações deram origem ao nível Magenta, nome classificado pela Teoria Integral, seguindo o código das cores explicado no artigo “Você sabe o que são os Níveis de Consciência?”.

nível magenta

Nível Magenta: Mágico/Animista

O nível Magenta é o “Mágico/Animista”. A partir dele o homem começou a atribuir acontecimentos a entidades mágicas/espirituais, criando as pré-organizações religiosas.

Essas explicações ajudam a trazer “lógica” para as ações e a unificarem os códigos dos grupos. Por exemplo, a culpa de uma safra ruim de trigo não é da falta de chuvas, mas do descontentamento da entidade que controla as nuvens.

Esses códigos começam a ajudar o homo sapiens a se organizar sob a batuta de crenças compartilhadas. Deste modo, esse nível é bem importante: é o primeiro nível de consciência que somente o homo sapiens é capaz de atingir.

Nenhum outro animal na natureza chega ao nível Magenta. Por isso, você nunca viu um grupo de macacos, ou lobos, venerando uma entidade espiritual. Primordialmente, a capacidade de outros animais se organizarem está registrada no DNA, manifestada através de instintos.

nível magenta

Nível magenta na prática

Quando observamos o desenvolvimento do nível de consciência em uma criança, a fase Magenta começa mais ou menos aos 3 anos. Em suma, é quando ela passa a ter medo de coisas que antes não a incomodavam, como o escuro ou de se perder dos pais.

Uma das principais características do nível Magenta é a percepção da individualidade. Sendo assim, para a criança é o início do entendimento de que ela e a mãe não são a mesma coisa. Mas a criança continua seguindo seus impulsos, ainda não há senso moral desenvolvido.

O modelo de auto-identidade, do qual Suzanne Cook-Greuter é uma das principais autoras, tem como paralelo o nível “Impulsivo”.

Isto é, se imaginarmos que um adulto está preso a este nível, podemos dizer seguramente que é aquela pessoa que faz coisas erradas quando ninguém está olhando. Já que não há um senso de moralidade bem consolidado.

Em nosso dia a dia, experimentamos o nível Magenta com bastante frequência. Por exemplo, toda vez que batemos com a mão na madeira três vezes para afastar o azar, ou quando vamos à cartomante para que ela “leia nosso futuro”. Ou ainda quando evitamos passar por baixo de uma escada. Deus nos ajude com os sete anos de azar para quem quebra um espelho!

nível magenta

Evolução do Svenn

Voltando ao nosso amigo Svenn, que vivia plantando trigo e falando com seus amigos sobre uma entidade que morava nas nuvens e gostava de bater seu martelo antes de mandar chuva…

Um belo dia, Svenn saiu para caminhar e encontrou um outro grupo de semelhantes pelo caminho do seu passeio. Contudo, este outro grupo, ao invés de plantar trigo, plantava cevada.

Svenn ficou curioso para experimentar essa tal dessa cevada, mas tinha medo dos espíritos que protegiam esse outro povoado. E desprovido de um senso moral muito desenvolvido, Svenn resolveu usar um pedaço de galho que encontrou pelo caminho para acertar a cabeça do Bjorn e ficar com a sua cevada.

Bem-vindo, homo sapiens, ao nível de consciência Vermelho.

E você, caro leitor? Acredita em superstição, horóscopo ou no Deus do Trovão?
Seja como for, este artigo faz parte de uma série sobre Níveis de Consciência. As versões anteriores são:

  1. Você sabe o que são os Níveis de Consciência?
  2. Faça o necessário para sobreviver.

¹ Nome fictício pra ilustrar a situação – nesta época da história humana, é bem provável que a linguagem ainda não estivesse desenvolvida o suficiente. Não podendo assim haver a atribuição de nomes, ainda mais com sonoridade que representasse a regionalidade moderna.

Um pouco sobre mim

João de Lorenzo

Me chamo João de Lorenzo, trabalho com planejamento estratégico, concepção e implementação de projetos. Bem como, com (quase) tudo relacionado a vendas e gestão de força de vendas.

Estudo Teoria Integral há alguns anos e acredito que a máxima do Ken Wilber que diz que “estão todos parcialmente corretos” é uma das chaves para um mundo com espaço para todos.

Mais artigos

plugins premium WordPress